23 C
Caraguatatuba
23 Julho 2024

Sessão especial celebra centenário e legado de Paulo Freire

Sessão especial celebra centenário

e legado de Paulo Freire

Senadores, familiares, professores e ativistas celebraram a memória e o legado do educador Paulo Freire, em uma sessão especial de homenagem, na tarde desta segunda-feira. Ele foi apontado como um revolucionário e como uma referência para a educação, no Brasil e no mundo.

O senador Jean Paul Prates, que apresentou o requerimento para a sessão de homenagem, relembrou a trajetória de Paulo Freire, que faria 100 anos no domingo. Ele destacou sua formatura em direito, sua paixão pela educação e seu exílio no exterior, até se tornar uma “referência mundial”. Conforme ressaltou o senador, Paulo Freire é responsável por um método revolucionário de alfabetização de adultos.

Segundo Jean Paul Prates, são várias as universidades ao redor do mundo que têm Paulo Freire como uma grande referência na educação. O senador criticou o que chamou de “trevas” do governo de Jair Bolsonaro e disse que essa “marcha da insensatez” precisa ser combatida, com a contribuição da obra de Paulo Freire. Ele afirmou que o nome do educador não sofre qualquer contestação no exterior. Mas no Brasil, lamentou, cada vez mais “as vozes do obscurantismo tentam contestá-lo” por suas posições políticas.
Jean Paul disse ver um pouco de Paulo Freire na luta diária de diretores, professores, alunos e merendeiras. De acordo com o senador, Paulo Freire é o terceiro teórico mais citado em trabalhos na área de humanas, em nível mundial. É também detentor de mais de 40 títulos de doutor honoris causa.

— Nós honramos Paulo Freire em cada ato de defesa da liberdade de cátedra. A educação, que tem em Paulo Freire sua grande referência, é o sol que sempre vai vencer as trevas — declarou.

O senador Fabiano Contarato manifestou sua admiração pela obra de Paulo Freire e lamentou a atuação dos ministros da Educação do governo Bolsonaro. Ele reafirmou seu compromisso na defesa da educação pública de qualidade e lembrou uma frase de Paulo Freire, segundo a qual “é fundamental diminuir a distância entre o que se diz e o que se faz, de tal forma que, num dado momento, a tua fala seja a tua prática”.
— Eu espero que nós tenhamos um verdadeiro compromisso com a educação — cobrou Contarato.

Para o senador Flávio Arns, a celebração do centenário de Paulo Freire é um momento de alegria para o Senado. Ele disse que Paulo Freire é respeitado em todo o mundo por defender mais recursos e competência técnica para a educação. Flávio Arns também lembrou que Paulo Freire ensinou que a educação é libertadora. Segundo o senador, Paulo Freire sempre esteve ao lado daqueles que ocupam o fim da fila.
— A história, como ele sempre enfatizava, se faz com o outro e não para o outro. Esperança e coragem são palavras que precisamos para o Brasil de hoje — declarou Flávio Arns.

A viúva do homenageado, Ana Maria Araújo Freire, agradeceu a homenagem do Senado e se disse alegre pela sessão especial. De acordo com Ana Maria, Paulo Freire viveu buscando um mundo melhor, com mais justiça para os menos favorecidos. Para isso, segundo a viúva, Paulo Freire defendia a transformação radical da sociedade. Ela ainda disse que viver por dez anos com o professor foi uma “graça de Deus”.

Paulo Freire
Paulo Reglus Neves Freire nasceu na cidade de Recife (PE), no dia 19 de setembro de 1921. Professor e escritor de vários livros, já foi homenageado com o título de doutor honoris causa em várias universidades da América e da Europa. Paulo Freire foi secretário de Educação de São Paulo (SP) na gestão de Luiza Erundina (1989-1992) e morreu em maio de 1997, na capital paulista. É o Patrono da Educação Brasileira, conforme a Lei 12.612, de 2012.

 

Cesar Jumana