17.6 C
Caraguatatuba
14 Julho 2024

Liberdade e a democracia não são de graça

O “ditador” russo, Vladimir Putin, precisa vencer essa guerra contra a Ucrânia rapidamente. E isso não é porque ele tenha consciência ou quaisquer escrúpulos. Não, é porque os caixões de jovens russos, que morreram lutando contra seus vizinhos, pessoas com quem compartilham valores cristãos ortodoxos, logo colocarão em dúvida a propaganda estatal russa sobre isso ser uma ação puramente de defesa.

Já estamos na Quaresma, momento durante o qual os cristãos ortodoxos do leste europeu jejuam e se preparam para a Páscoa. Putin gosta de se apresentar como um cristão piedoso neste momento, com uma vela na mão. Mas essa foto não vai combinar com fotos de mulheres, crianças e homens mortos, que foram assassinados nos últimos dias, graças à invasão russa a Ucrânia .

Esta guerra não deve terminar rapidamente. Os ucranianos não desistirão, mesmo que tenham que lutar com as próprias mãos e explosivos de coquetel molotov.

O povo russo suportou muito sofrimento durante a era soviética e mostrou grande coragem durante a Segunda Guerra Mundial. Mas não é como se os ucranianos fossem inferiores aos russos. Além disso, os ucranianos estão em um terreno moral mais sólido neste caso. Eles estão defendendo seu país, suas famílias, suas vidas. Os soldados russos estão lá como agressores, ocupantes e assassinos.

É verdade que, para o hesitante Ocidente, não havia inimizade com a Rússia até recentemente, pois existia a promoção do comércio bilateral, cooperação nos setores político, cultural e científico. Milhões de russos viajavam regularmente para a Espanha, Grécia e Turquia como turistas, ao lado de muitos europeus ocidentais que também passam lá suas férias.

Foi exatamente por isso que ninguém poderia imaginar Putin cometendo esse crime, ou que os russos o seguiriam nessa loucura.

Putin está certo ao dizer que os europeus não estão bem equipados para lidar com isso. Eles tomaram suas vidas prósperas e privilegiadas como garantidas. Mas isso mudou agora. Todos os europeus amantes da liberdade e da paz vêem este crime contra a Ucrânia como um ataque a si próprios. Todo mundo vê que Putin mente toda vez que abre a boca e que não cumpre nenhum tratado internacional.

Muitos europeus estão consternados com a súbita percepção de que agora, apenas os EUA podem garantir sua segurança. Claro, eles são gratos por isso. Mas pode-se esperar que uma mãe no Mississippi envie seus filhos para lutar a fim de garantir a segurança europeia, se uma mãe européia não está preparada para fazer o mesmo?

O mundo precisa acordar e entender que a paz, a liberdade e a democracia não são de graça.