24.9 C
Caraguatatuba
14 Julho 2024

Deputada Márcia Lia leva demandas do Litoral Norte à Secretaria de Segurança Pública

A deputada estadual Márcia Lia e representantes de conselhos municipais e regionais levaram uma série de demandas do Litoral Norte ao secretário de Segurança Pública do Estado de São Paulo (SSP-SP), General João Camilo Pires de Campos, esta semana. Em reunião realizada na terça-feira (28), a parlamentar pediu aumento de efetivo para as Polícias Civil e Militar, atenção para as quatro unidades de Delegacia de Defesa da Mulher da região e equipamentos como câmeras e viaturas.

“O Litoral Norte requer a nossa atenção e o nosso cuidado quando o assunto é segurança pública porque se trata de uma região que figura no mapa da violência do Estado, com agravantes durante o verão, época em que recebe uma grande quantidade de turistas e têm uma alta considerável de população flutuante”, observa Márcia Lia.

A deputada esteve na Secretaria de Estado de Segurança Pública acompanhada de Cilmara Santos, presidente do Conselho Municipal da Condição Feminina (CMCF) de Caraguatatuba e que na ocasião representou os demais conselhos do Litoral Norte, e de Pedro Hirochi Toyota, presidente do Conseg Caraguatatuba e que na ocasião representou os demais Conseg do Litoral Norte, que apresentaram um mapa dos problemas de segurança pública na região ao secretário.

A principal demanda da região, assim como ocorre em todo o Estado, é a reposição de policiais civis e militares. O déficit aumenta mês a mês com a aposentadoria, afastamento e exoneração dos concursados, e isso acarreta acúmulo de trabalho por quem está na ativa, piora do atendimento ao público e lentidão na solução dos inquéritos.

“A região também requer equipamentos para as polícias, como câmeras de segurança e viaturas. Na cidade de Caraguatatuba, por exemplo, a maioria das viaturas está quebrada e, portanto, parada por falta de manutenção”, explica o presidente do Conseg de Caraguatatuba, Pedro Toyota.

Ele lembra que a região tem outros problemas, como o fechamento do 2º Distrito Policial de Massaguaçu há mais de um ano e a inatividade da base móvel da Polícia Militar de Caraguatatuba por falta de policial capacitado para dirigir este veículo. “Pedimos ao secretário a reabertura do Distrito Policial e uma solução para o uso da Base Móvel. Para dirigir esta base, é necessário ter um curso específico, que é caro e pago pelo próprio policial. O resultado é que a cidade tem o equipamento, mas não tem policial capacitado, de forma que a base móvel só é utilizada na Operação Verão, quando Caraguatatuba recebe policiais de outras cidades”, explica Pedro.

A presidente do CMCF, Cilmara Santos, apontou ao secretário a necessidade de melhorar as instalações das Delegacias de Defesa da Mulher do Litoral Norte, com reformas, equipamentos e mais policiais mulheres para oferecer atendimento especializado às vítimas de violência doméstica e para garantir o funcionamento das unidades aos finais de semana, quando os casos aumentam. “Sem efetivo, sem recursos humanos não conseguimos oferecer a estas mulheres o atendimento que elas precisam e merecem. Os casos mais preocupantes são Caraguatatuba e Ubatuba, que têm as mesmas necessidades”, diz Cilmara.

Quanto ao efetivo geral, o déficit é grande em todas as polícias. A Polícia Rodoviária tem apenas uma guarnição para o trecho, mesmo aos finais de semana, quando o índice populacional aumenta. Já o Corpo de Bombeiros necessita de uma base da Brigada de Incêndio na Costa Sul, tendo o bairro de Boiçucanga como referência estratégica em função de a Serra de Maresias ser trecho com altíssimo índice de acidentes, principalmente envolvendo veículos pesados.

Também foram solicitadas ao secretário General João Camilo mais viaturas para a Polícia Ambiental fazer atendimento em locais de difícil acesso e o aparelhamento das Polícias Rodoviárias para uma fiscalização mais efetiva nas fronteiras entre as cidades e ações de combate ao tráfico de drogas e de pessoas.

Especificamente sobre as câmeras inteligentes, o secretário disse que a Prefeitura de Caraguatatuba já assinou convênio com o Estado e precisa instalar o equipamento, uma vez que o investimento é do município e o Estado faz a manutenção.

“O secretário General Camilo ouviu todas as nossas reivindicações, que serão formalizadas em ofício à Secretaria para análise detalhada, mas disse que compreende a necessidade de dar mais atenção para a região porque sabe dos altos índices de violência no Litoral Norte, em especial em Caraguatatuba. Ele garantiu que abrirá concurso para a Polícia Civil no final deste ano para sanar o déficit de policiais civis e militares em todo o Estado e que, com isso, irá também para atender esta demanda. Os concursados aprovados devem passar por capacitação no próximo ano e iniciar suas atividades em 2023”, fala Márcia Lia. “Vamos aguardar um retorno e seguir cobrando do Governo do Estado ações efetivas”, finaliza.